"Olá, eu sou a Alice!"
Fale por aqui com a
nossa Assistente Digital

Dislexia: conheça os sinais e os benefícios de uma deteção precoce

13 Outubro 21   |   141

De acordo com a Associação Portuguesa de Dislexia, cerca de 5% da população portuguesa sofre desta dificuldade específica da aprendizagem da leitura.

A dislexia é uma disfunção neurológica que afeta os processos da linguagem. Estes mecanismos ocorrem sobretudo no hemisfério esquerdo, tendo-se verificado diferenças na atividade cerebral desta área específica do cérebro em pessoas com dislexia quando expostas ao estímulo da leitura.

De acordo com a Psicóloga da Cintramédica, Joana Teles de Sousa, os primeiros sinais podem surgir ainda na idade pré-escolar, com dificuldades em pronunciar determinadas palavras ou em memorizar canções infantis, rimas e lenga-lengas.

Mais tarde, no 1º Ciclo, os sinais de dislexia tornam-se mais evidentes aquando da consolidação da leitura.

Vejamos alguns sinais de dislexia nas crianças que a Psicóloga da Cintramédica destaca:

O seu filho lê ou escreve palavras semelhantes?

A inserção, omissão ou troca de letras/palavras na leitura é um dos sintomas presentes no diagnóstico de dislexia, dando origem, na escrita, a erros ortográficos. Este sinal é mais comum nas letras: o-u; p-t; v-f; b-v; s-ss-ç; s-z; m-m; g-j; x-ch-j; z-j, etc

Ler de forma lenta e silabada?

As crianças com dislexia apresentam maiores dificuldades ao nível velocidade/fluência leitora quando comparadas com crianças que não apresentam esta disfunção.

Apresenta dificuldades em compreender o que leu?

O esforço dedicado à leitura (discriminar e juntar letras) prejudica muitas vezes a compreensão do que se acabou de ler. No entanto, se o texto lhe for lido, as crianças com dislexia não apresentam esta dificuldade.

 

Benefícios de uma deteção precoce da dislexia

Apesar de não existir cura para esta disfunção, a Associação Portuguesa de Dislexia reforça a ideia que, “com uma intervenção precoce, conseguem-se ultrapassar cerca de 90% das dificuldades”. Nesse sentido, Joana Teles de Sousa salienta a importância de se proceder a uma avaliação individual, avaliação essa que irá produzir um diagnóstico onde estão identificadas as dificuldades específicas de cada criança.

Esse relatório, que será partilhado com pais e educadores, inclui ainda um plano de intervenção que poderá servir para um apoio psicopedagógico que, na maioria dos casos, é dado pelos técnicos das escolas de acordo com a avaliação.

Se suspeita que o seu filho pode ter dislexia marque a sua Consulta de Psicologia ou entre em contacto com o nosso Apoio ao Cliente, no sentido de obter um diagnóstico e, caso seja necessário, promover estratégias de aprendizagem eficazes e mais bem adaptadas ao seu filho.

Autor do artigo

Joana Sousa Teles

Psicóloga