Férias em Família: Missão Possível

data de publicação04 Julho 2024 autor do artigo
Joana Sousa Teles  |  Psicóloga

Chega o verão e as férias em família são um período aguardado com muita antecipação e entusiasmo, quer pelos pais, quer pelas crianças. Esperam-se momentos de harmonia e tranquilidade, de descanso e de diversão. Porém, algumas crianças parecem passar por um aumento de birras e mau humor neste período de férias em família. Entender as causas destes comportamentos e encontrar maneiras de os evitar torna-se fundamental para garantir férias mais agradáveis para toda a família.

 

Entender as causas

Mudanças na rotina

Uma das possíveis causas do mau humor e birras das crianças durante as férias são as necessárias mudanças na rotina. As crianças, principalmente as mais novas, dependem da rotina para se sentirem mais estáveis e, por isso, mais seguras. A rotina traz-lhes a ideia ou sensação de controlo, de saberem o que vem a seguir. A falta de rotina aumenta a ansiedade e a irritabilidade.

Gestão de expetativas

Outra das causas são as expetativas elevadas ou até irrealistas, muitas vezes alimentadas pela constante propaganda, histórias de amigos ou qualquer outra idealização que tenham feito. Quando algo que tanto desejam não acontece, podem sentir deceção e frustração, resultando em crianças mais irritáveis e com mau humor.

Novos estímulos

Por outro lado, durante as férias, há também uma sobrecarga de novos estímulos. novos ambientes, pessoas e atividades. Esta sobrecarga sensorial leva a que se sintam desreguladas e pode conduzir a um aumento das birras.

Viagens, fadiga e fome

Finalmente, viagens longas, atividades intensas e mudanças nos horários das refeições e do sono, ou seja, a fadiga e a fome, contribuem significativamente para o aumento de mau humor e propensão a birras.
 

Dicas para evitar as Birras e o Mau Humor nas Férias em família?

Dica Nº 1: Tente manter alguma rotina

Embora possa haver flexibilidade (afinal estamos de férias), é útil estabelecer uma nova rotina que inclua horários regulares para refeições e para dormir.
O “truque” pode passar por alternar entre períodos de atividades estimulantes e outros mais calmos, de modo a evitar a sobrecarga de estímulos. Neste capítulo, recomendo uma especial atenção à manutenção de uma higiene de sono com um horário regular na hora de acordar e deitar. Deve ser criado um ambiente propício ao sono, num local confortável e silencioso, e de ser estabelecida uma rotina relaxante antes de deitar a criança. Exemplos: dar-lhe um banho, ler-lhe uma história ou praticar uma técnica de relaxamento.

Experimente esta técnica de relaxamento: percorra com um dedo da sua mão cada dedo da mão da criança, como explicado na imagem. Quando sobe por um dedo inspira, quando desce pelo dedo expira calma e pausadamente.


 

Dica Nº 2: Assuma as rédeas das expectativas

De modo a gerir expectativas de forma mais eficiente converse com a criança antes das férias. É também importante que o faça durante as férias de modo a que ela saiba o que vai acontecer naquele dia. Explique que as coisas podem nem sempre ocorrer como esperado e que às vezes as mudanças e adaptações podem ser divertidas. Ofereça também a possibilidade da criança fazer pequenas escolhas para que se sinta envolvida, participante e integrada nos planos das férias. Deste modo, a criança fica com a sensação de controlo, reduzindo a resistência e consequentemente as birras.
 

Dica Nº 3: Lanches e água sempre à mão

Pode parecer óbvio, mas na eminência de uma birra esta dica pode fazer milagres! Tenha sempre à mão pequenos lanches saudáveis e água para evitar que a criança fique com fome e/ou sede.
 

Manter o equilíbrio e garantir resposta

A chave para umas férias felizes está em manter o equilíbrio entre estrutura e flexibilidade. Por outro lado, é importante dar resposta às necessidades emocionais e físicas das crianças, sempre com compreensão, paciência e uma atitude positiva. Manter o sentido de humor e lembrar-se que as crianças não são adultos, pode ajudar a relativizar momentos mais stressantes. Afinal, é possível criar memórias maravilhosas e garantir que todos se divirtam.

Autor do artigo

Joana Sousa Teles

Psicóloga

Faça o seu comentário

Envie-nos o seu comentário, questão ou opinião.