Holter: o ECG que o acompanha durante 24 horas

data de publicação02 Fevereiro 2023 artigo revisto por
José Duarte  |  Cardiologista

O Holter é um exame de Cardiologia que permite o registo de Eletrocardiograma (ECG) por um período de 24 horas ou, em alguns casos, de 48h ou mesmo durante períodos mis prolongados.
Fique a saber no que consiste este exame para o despiste de várias patologias relacionadas com o ritmo cardíaco.


O mesmo princípio do ECG

“ECG” é a sigla de eletrocardiograma. É um dos exames de diagnóstico mais prescritos para avaliar a atividade elétrica cardíaca. É um exame não invasivo que deteta os impulsos elétricos que desencadeiam a atividade contráctil do músculo cardíaco e o funcionamento das válvulas cardíacas. Esta atividade elétrica, por norma, obedece a um padrão que é registado no ECG. Cada vez que o padrão da atividade elétrica do coração é interrompido, essa alteração é detetada pelo ECG.
O ECG faz um registo temporal, durante um curto período, da atividade elétrica cardíaca e não de períodos prolongados. Sendo assim, muitos eventos podem não ser detetados neste exame. Sabe-se que cerca de 25% dos pacientes com angina de peito podem apresentar um ECG normal. O Holter permite efetuar registos atividade elétrica do coração durante períodos prolongados, tais como 24 ou 48 horas ou, até durante uma semana, permitindo a deteção de várias alterações do ritmo cardíaco, quer em repouso, quer durante a atividade diária, o que não é possível através do ECG de rotina.


Como funciona o Holter?

Por norma, o Holter monitoriza a atividade cardíaca durante 24 horas. Deste modo, a atividade elétrica do coração é registada enquanto o paciente desempenha as suas atividades normais ao longo de um dia.

Para tal, são colocados elétrodos no tórax, que são conectados a um dispositivo que o paciente transportará durante o período programado. O técnico de Cardiopneumologia tem um papel importante nesta técnica, passando pela colocação e programação do equipamento, pela elucidação dos pacientes quantos aos cuidados a ter e, por fim, pela retirada do mesmo e análise dos registos.

A colocação do dispositivo é acompanhada de um diário clínico facultado ao doente pelo técnico de Cardiopneumologia. Neste diário serão registados os sintomas e a hora da ocorrência dos mesmos durante o período da gravação do exame. Este diário é importante, pois permite a correlação das alterações eletrocardiográficas com os sintomas.

 

Diário de Holter

A todos os clientes da Cintramédica é fornecido um pequeno documento onde podem registar as suas atividades e sintomas durante as 24 horas em que estiverem a ser monitorizados com o Holter. O documento assemelha-se a um pequeno livro com instruções como registar as atividades e sintomas.

Assim, o registo deve ter em atenção os seguintes pontos:

  • Atividades diárias, refeições
  • Sintomas, ou seja, tudo o que sentir que não é normal, como palpitações, dificuldade em respirar, dor no peito, cansaço excessivo, tonturas, ou perda de equilíbrio, por exemplo
  • Hora do aparecimiento dos sintomas, assim como as horas de deitar, levantar, ou da toma de medicação.

Recomendações

O Holter é um equipamento frágil e valioso, que deve ser tratado com cuidado, como se fosse seu. É importante:

  • Não tentar abrir ou forçar o equipamento
  • Não o deixar cair ou danificá-lo
  • Não carregar em nenhum botão

É recomendado ao cliente tomar banho antes da colocação do aparelho, uma vez que não o poderá fazer com o Holter colocado. O uso de roupa larga que torne mais fácil a aplicação do equipamento é também aconselhada.


Porque lhe poderá ser prescrito um Holter?

O Holter é normalmente requisitado por um Cardiologista, mas pode ser pedido por outras especialistas, nomeadamente pelo médico de família. É um exame útil em várias patologias:

  • Angina de peito
  • Arritmias
  • Defeitos cardíacos congénitos
  • Problemas das válvulas cardíacas
  • Doença coronária
  • No pós-enfarte do miocárdio

O Holter é também útil para o esclarecimento de outras situações, tais como, dores no peito, dificuldade respiratória, cansaço ou tonturas.

Artigo revisto por

José Duarte

Cardiologista
Tags