Rastreio Cancro da Próstata: quando e como fazer?

data de publicação20 Novembro 2023 entrevista a
Dr. João Borda  |  Urologista

O Cancro da Próstata é a doença oncológica mais frequente no homem. De acordo com dados da Liga Portuguesa contra o Cancro, só em 2020 foram diagnosticados cerca de 6759 novos casos. A prevenção faz-se com o diagnóstico precoce e com a literacia em saúde, dando a conhecer à população masculina quando deve fazer o rastreio. O Dr. João Borda, Urologista na Cintramédica, dá-nos algumas respostas essenciais para ficarmos a conhecer estratégias de prevenção do Cancro da Próstata.
 

Com que idade se deve fazer o rastreio?

A idade em que o homem se deve começar a preocupar com o Cancro da Próstata tem a ver, essencialmente, com o facto de haver familiares diretos, aquilo que nós chamamos de familiares de sangue, que também tenham cancro da próstata ou não.

Se houver dois ou mais indivíduos da mesma família com Cancro da Próstata, deve-se começar a preocupar a partir dos 40, 45 anos. Se, no entanto, não houver ninguém, ou pelo menos que ele saiba que não há ninguém com Cancro da Próstata na família, nessa altura, penso que aos 55, 60 anos sejam as melhores idades para começar a preocupar-se em fazer o rastreio.
 

Como é que se faz o diagnóstico? Que exames envolve?

Para um bom diagnóstico são essenciais três exames:

  1. O toque retal, em que vamos avaliar a superfície posterior da próstata, onde normalmente se desenvolvem os tumores. Procuramos zonas que sejam mais endurecidas, daí a necessidade de ser um toque e não ser substituível por mais nenhum exame, na medida em que nós conseguimos perceber, através da sensibilidade, que são zonas endurecidas e, consequentemente, suspeitas.
  2. A Análise Clínica ao PSA, mas não se deve fazer só o PSA sozinho. É necessário fazermos a fração livre do PSA, uma vez que o PSA pode estar aumentado em outras situações não malignas, como por exemplo as infeções, as prostatites, ou a hipertrofia benigna da próstata, que também pode dar um PSA aumentado. Uma análise ao PSA sozinha não serve os nossos intentos.
  3. A Ecografia Prostática Transretal, um exame que deve ser realizado com uma sonda especial, através do ânus. Este exame não é possível de ser efetuado por via superpública. Muitos doentes não gostam de fazer a Ecografia Prostática Transretal mas, infelizmente, é o exame mais eficaz para verificarmos este tipo de alterações que, não são percetíveis pelo toque retal. É um exame fundamental para avaliarmos exatamente que zonas são suspeitas e quais os casos que, eventualmente, poderão ser elegíveis para uma Biópsia Prostática.

 

Quais as vantagens de se fazer o diagnóstico precoce do Cancro da Próstata?

O Cancro de Próstata é, essencialmente, um cancro que, desde que seja diagnosticado numa fase precoce, é passível de ser curado.

Numa fase mais tardia, e quanto mais cedo ele for diagnosticado, mesmo que já não seja um cancro localizado, mas que já tenha aquilo que se chama de ramificações para outros órgãos, é possível de ser controlado e, em alguns casos, as pessoas podem viver ainda cerca de 15 anos ou 20 anos, sem qualquer problema.

Entrevista a

João Borda

Urologista

Imagem Lateral

/newsletter