"Olá, eu sou a Alice!"
Fale por aqui com a
nossa Assistente Digital

Plagiocefalia Posicional: como prevenir crânios achatados nos bebés

23 Fevereiro 22   |   1092
A plagiocefalia posicional é um achatamento ou aplanamento do crânio dos bebés. Ocorre geralmente nos primeiros 3 meses de vida, quando o crânio ainda é maleável e o bebé passa a maior parte do tempo deitado de costas.
É importante referir que a plagiocefalia posicional não afeta o normal desenvolvimento do cérebro. Trata-se, sobretudo, de uma alteração estética da forma da cabeça do bebé.
Como prevenir a plagiocefalia no berço?
Para dormir e com o intuito de reduzir o risco de Síndrome de Morte Súbita do Lactente (SMSL), os bebés deverão ser colocados de costas num colchão firme, sem travesseiros ou produtos para manter uma posição ideal. No entanto, se a criança tiver uma forte preferência posicional ou já apresentar um achatamento do crânio, existem medidas que podem ajudar a prevenir ou minimizar a gravidade da plagiocefalia posicional.
 
Assim, para reduzir uma preferência posicional experimente:
  • Colocar o bebé numa extremidade diferente do berço cada vez que o deitar. Os bebés têm tendência para virar a cabeça para o lado do quarto ou da sala e menos para a parede
  • Colocar um brinquedo colorido ou um espelho preso às grades do berço de modo a incentivar a criança a olhar para a direção desejada
  • Limitar a quantidade de tempo que a criança passa em assentos infantis
Tempo de “Barriga para baixo”!
Durante o dia e com a criança acordada, deve aumentar o tempo que a criança está voltada de barriga para baixo. Além de ajudar a diminuir a plagiocefalia, que se agrava cada vez que o bebé está virado de costas, colocá-lo de barriga para baixo ajuda a:
  • Melhorar o desenvolvimento de músculos do pescoço e ombros
  • Melhorar o desenvolvimento muscular necessário para que o bebé adquira a capacidade de dar a volta e gatinhar sozinho
  • Aumentar os laços de união com o bebé, sobretudo quando se coloca em frente a ele ou de lado.
Medidas a adotar quando o bebé está acordado
Existem algumas práticas simples que pode experimentar durante o dia. Aqui damos alguns exemplos:

Aumentar, gradualmente, o tempo de “barriga para baixo”

  • Pode, por exemplo, logo após a mudar a fralda, colocá-lo de barriga para baixo durante algum tempo. Todos os dias pode adicionar mais 1 minuto nesta posição
  • Quando a criança estiver de barriga para baixo pode deitar-se em frente ou ao seu lado para lhe proporcionar conforto e interação
  • Coloque um braço, uma almofada ou uma toalha enrolada debaixo do peito do bebé com os braços para a frente para que possa ter maior apoio. Pode usar a sua mão para apoiar o queixo da criança enquanto ela não tiver força suficiente para aguentar a cabeça
  • Pode também colocar brinquedos coloridos ou um espelho em frente à criança para estimular o olhar e o levantar a cabeça

Aumentar o tempo “acordado e de pé”

  • Se o seu filho apresentar uma plagiocefalia posicional deve limitar o tempo em que este está sentado em cadeirinhas. Esses assentos devem ser reservados unicamente para deslocações de carro e sempre por um curto período de tempo
  • Depois do banho, seque o bebé de barriga para baixo, alternando de lado para que o possa vestir
  • Depois da troca da fralda aproveite para girá-lo de um lado para o outro. O objetivo é atrair a sua atenção para diferentes ângulos. Aproveite ainda para o colocar, durante uns minutos, de barriga para baixo.
  • Ao transportar a criança consigo prefira usar portadores frontais ou posteriores
  • Assim que a criança consiga ter controlo na cabeça prefira um posicionamento vertical quando a sentar. Dou como exemplo assentos do tipo BUMBO™
  • Quando a criança estiver sentada, no carro ou à refeição, coloque distrações visuais do lado em que pretende contrariar a plagiocefalia posicional
  • Em momentos de brincadeira promova a posição sentado com um ligeiro apoio e/ou barriga para baixo, usando almofadas para amortecer eventuais quedas
Como segurar o bebé?
O ideal é que tente sempre alternar o lado em que o segura para que gire e balance a cabeça em ambas as direções. Pode apoiar a cabeça da criança no seu ombro mas deve promover, progressivamente, que vá ganhando controlo da cabeça e do tronco. Se o virar de frente procure evitar o contacto com a cabeça ou, se o fizer, garante que é com suavidade. Não se esqueça também aqui de alternar o lado.
E se a plagiocefalia se agravar?
Em caso de fraca resposta às melhorias indicadas sugere-se a referenciação a Neurocirurgião Pediátrico de modo a pensar noutro tipo de tratamentos/exames como:
  • Terapia Ocupacional e/ou Fisioterapia
  • Uso de ortótese/capacete moldador idealmente iniciado idealmente antes dos 6 meses e durante 23h por dia durante 3 a 6 meses
  • Exames complementares como a TAC ao crânio
Deixo também uma lista de auxiliares ao posicionamento que podem ajudar a criança nesta fase:
  • Almofada MIMOS para apoiar a cabeça na posição deitada
  • Almofadas de posicionamento de barriga para baixo ou posição deitada
  • Assentos tipo BUMBO™

Autor do artigo

Lídia Nunes Dias

Neurocirurgiã