Gasometria



Consequências do uso excessivo da chucha e de chuchar nos dedos

01 de Março de 2017

A sucção é um reflexo inato que está relacionado com o crescimento e desenvolvimento psíquico do bebé. É através da sucção pela amamentação que a criança satisfaz as necessidades nutricionais e afetivas. 

À medida que a criança creche, o uso de chucha (sucção não nutritiva) pode trazer benefícios na qualidade de vida do bebé se o uso for moderado, ou desenvolver malefícios se o uso for exagerado. Além do uso da chucha, o hábito da sucção dos dedos (polegar) é frequentemente encontrado nas crianças.
 
Malefícios do uso exagerado da chucha ou dedo:

 É uma das causas da respiração oral. O padrão respiratório pode ser alterado de nasal (pelo nariz – correto) para bucal (pela boca). Ao respirar pela boca, o ar não sofre o processo de filtragem, aquecimento e humedecimento, deixando o sistema respiratório vulnerável a doenças. A respiração bucal cria alterações no desenvolvimento crânio facial, na postura corporal e deixa a criança cansada por ter dificuldades em entrar no sono profundo.
 
 O lábio superior fica encurtado, o lábio inferior fica evertido (virado para fora), ocorre a perda do vedamento labial, a pele do queixo pode ficar enrugada (face ao esforço do músculo pelo vedamento labial), as bochechas hipo/ hipertonificadas e caídas e a língua perde tonicidade ficando numa posição baixa e retraída dentro da cavidade bucal.
 
 Amamentação: a posição da língua durante a amamentação é diferente de quando se usa a chucha. Na amamentação o bebé usará a posição que usa com a chucha e não conseguirá retirar o leite, ficando irrequieto com fome e sede, rejeitando por vezes o peito da mãe. 
 
 Dentição: cria alterações dentárias na mordida (mordida aberta, mordida cruzada e overjet) e/ou a formação de palato ogival (céu-da-boca fundo e estreito) que depois influenciam na articulação correta dos sons. 
 
 Mastigação: deixa os músculos das bochechas, lábios e língua sem força para a função o que dificulta a mastigação dos alimentos mais duros, promovendo o hábito de comida passada. A mastigação perde a sua característica normal bilateral para vertical ou unilateral afetando diretamente as articulações temporomandibulares.
 
 Deglutição: face à alteração da mordida, desenvolve-se uma deglutição atípica com interposição de língua e participação da musculatura peri-oral, forçando os dentes. 
 
 Fala: devido à interposição da língua na arcada dentária ocorre uma alteração nos sons, os mais comuns são S, Z, X, CH. Os músculos orais que o bebé usa quando realiza a sucção são os mesmos que usará para falar. 
 
 Fisiologia: promove a alteração da postura e tonicidade dos músculos da boca e face, que se tornam mais flácidos e hipofuncionais. Além disso, pode verificar-se desenvolvimento reduzido da mandíbula, alterações na postura dos lábios e da língua, alterações musculares na face e deformidades nas estruturas ósseas e dentárias, sendo que estas alterações também favorecem a instalação da respiração oral. 
 
Recomenda-se a retirada da chucha antes dos dois anos, antes da formação da arcada dentária, para não criar alterações dento faciais. 

Artigo escrito por Marta Santos, Terapeuta da Fala na Cintramédica