Gasometria



Cirurgia Vascular


A Angiologia / Cirurgia Vascular é a especialidade médica que se dedica ao estudo, diagnóstico e tratamento das doenças do sistema circulatório para além do coração e do sistema nervoso central, ou seja, as patologias das artérias, veias e linfáticos dos territórios ditos “periféricos”. 
 
Para além da avaliação clínica do doente, o especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular realiza exames complementares não invasivos, como é o caso do eco-doppler carotídeo e vertebral e do eco-doppler arterial e venoso dos membros inferiores. O tratamento, determinado pelo problema específico de cada doente, poderá envolver o recurso a cirurgia ou a métodos não cirúrgicos.


Consulta disponível em:

@Sintra
@Cacém 




 


Horário de Consultas em Sintra

2ª Feira            3ª Feira
14h-20h            17h-20h

Horário de Consultas no Cacém

5ª Feira
15h30-16h30


 Acordos Cirurgia Vascular

Acordos para consultas

 ADM / IASFA
 ADSE
 Advance Care
 Allianz
 CGD
 Future Health Care
• Generali Care
 IASFA-ADM
 Medicare
 Médis
 Médis CTT
 Multicare
 RNA / Servimed
 SAMSQ
 SAMS Sibs
 Sorriso +
 Wells
 


 

 

Patologia Arterial

Doença Arterial Obstrutiva Aterosclerótica
A aterosclerose é uma doença evolutiva e progressiva em que as artérias endurecem e estreitam-se podendo, em determinadas localizações, haver obstrução completa à circulação de sangue. Este tipo de obstrução pode provocar doenças cerebrovasculares, insuficiência vascular mesentérica, hipertensão renovascular e isquemias dos membros superiores e inferiores.
 
Isquemia Crónica dos Membros Inferiores
Quando as artérias são afetadas com este tipo de doença, os doentes podem queixar-se de claudicação intermitente (dor nas pernas ao caminhar), queda de pelos, atrofia das unhas e dos músculos, e até mesmo impotência. Nos estádios avançados podem surgir úlceras que não cicatrizam e que avançam para situações de gangrena dos membros. Em muitos casos é necessário proceder à revascularização dos membros, seja através de cirurgia direta (desobstrução, bypass) ou de procedimentos endovasculares (angioplastia/stenting).
 
Doença Cerebrovascular Extra-Craniana
A doença cerebrovascular extra-craniana e a consequente cirurgia de revascularização, da carótida e troncos supra-aórticos, poderão evitar um número significativo destes acidentes vasculares cerebrais, antes da ocorrência do chamado enfarto cerebral. A obstrução (estenose) das artérias carótidas e das artérias vertebrais, localizadas no pescoço, poderá ser responsável pelo acidente vascular cerebral, cujo quadro clínico dependerá da localização e duração da isquemia, podendo manifestar-se por perturbações visuais, paralisias transitórias e desmaios (acidente isquémico transitório) ou como défices neurológicos definitivos (enfarto cerebral). Quando estes sintomas são descobertos, devem ter as suas causas identificadas o mais rápido possível para iniciar o tratamento. 
 
Aneurismas da Aorta e Periféricos 
O aneurisma é a dilatação anormal e permanente de uma determinada artéria, no entanto é na artéria aorta que surgem com maior frequência. A sua principal complicação é a rotura, situação sempre de extrema gravidade, que pode culminar com o óbito do doente. O crescimento do aneurisma é progressivo, mas o ritmo com que ocorre é imprevisível. O aparecimento de sintomas, nomeadamente de dor, pode prenunciar a ocorrência de rotura. O diagnóstico do aneurisma da aorta faz-se com base em dados clínicos e requer apenas um alto índice de suspeição, apoiado num exame físico completo e pormenorizado. Os aneurismas periféricos são muito menos frequentes e o seu tratamento atempado evita complicações sérias como a trombose conducente a quadros de isquemia aguda do membro inferior, a rotura e a compressão de estruturas adjacentes.
 
Dissecção Aórtica
A dissecção aórtica, intimamente ligada à hipertensão arterial, é uma situação de grande complexidade e gravidade. Os aspetos fundamentais da doença são a necessidade de um pronto reconhecimento da situação clínica e a adopção de uma abordagem multidisciplinar nas diferentes etapas de evolução da doença.
 
Embolias Arteriais
As embolias arteriais são, na sua grande maioria, manifestações secundárias de uma doença cardíaca. A sua ocorrência constitui sempre uma grande emergência, a necessitar de medidas terapêuticas imediatas. 
 
Angeítes, Arteriopatias Inflamatórias e Degenerativas
As angeítes, arteriopatias inflamatórias e degenerativas são condições clínicas raras, cujo tratamento e seguimento envolve várias especialidades médicas.
 
Síndromes de Compressão Vascular 
Os síndromes de compressão vascular, dos quais o mais frequente é o síndrome do desfiladeiro torácico, são habitualmente acompanhados de sintomatologia neurológica resultante da compressão das estruturas nervosas que seguem em contiguidade com as artérias. 
 
Malformações Vasculares
As malformações vasculares, classificadas em arteriais, arteriovenosas e venosas, são condições clínicas de extrema complexidade, com patogenia mal definida e repercussões gerais por vezes extensas e graves. 
 


Patologia Venosa

Trombose Venosa
A trombose venosa profunda é uma doença potencialmente grave causada pela formação de coágulos (trombos) no interior das veias profundas. Normalmente surgem nas veias da perna (barriga da perna), mas podem também surgir nas coxas e nos membros superiores. 
 
Insuficiência Venosa Crónica
É uma anomalia do funcionamento do sistema venoso causada por uma incompetência valvular, associada ou não à obstrução do fluxo venoso. Pode afetar o sistema venoso superficial, o sistema venoso profundo ou ambos. Esta doença afeta pessoas de todas as idades e está associada a varizes, úlceras e lesões tróficas dos membros inferiores.

Varizes dos Membros Inferiores
As varizes são dilatações de veias superficiais dos membros inferiores que alteram o fluxo e a direção da corrente sanguínea, podendo levar a formação de fibrose do tecido celular subcutâneo, úlceras (feridas) e a predisposição à trombose (obstrução de veias superficiais e profundas). Estima-se que entre 10 a 20% da população é afetada por esta doença. Existem diversos métodos de tratamento das varizes, sendo que todos eles visam a eliminação das veias insuficientes.

Tipos de Tratamento:
• Extração cirúrgica;
• Destruição térmica (coagulação); 
• Destruição química (esclerose).
 
Objetivos do tratamento:
• Prevenção das complicações (flebites, úlceras, alterações da pele);
• Alívio da dor, peso e edema (inchaço);
• Melhoria da aparência do membro (estético).
 


Patologia Linfática

Apesar de raras, as patologias do foro linfático podem causar longos períodos de sofrimento e incapacidade. A patologia mais frequente são os linfedemas, que podem ser classificados como primários e secundários. Os primários são congénitos, são mais frequentes no sexo feminino e estão frequentemente associados a outras alterações congénitas. Os secundários são consequência da obstrução adquirida da drenagem linfática por doença oncológica, infeciosa, pós-cirúrgica ou pós-radioterapia. O tratamento é conservador e baseia-se fundamentalmente na utilização de contenção elástica, no repouso anti-ortostático e na aplicação de um regime de compressão externa mecânica e intermitente. O tratamento cirúrgico é inconstante e controverso.
 

Artigos Relacionados:

- O que é a Doença Venosa Crónica?
- O que são Varizes (Doença Venosa Crónica)? (Vídeo)
 

 

 

 

 

MÉDICOS
design binário