Gasometria



Dia Mundial da Luta contra o Cancro: saiba tudo sobre a doença

03 de Fevereiro de 2016

O cancro é uma doença que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Devido à sua importância e ao impacto que causa no dia a dia das pessoas, são realizados estudos constantes para encontrar novas formas de prevenir, detetar e tratar o cancro, tendo por base a melhoria da qualidade de vida das pessoas, durante e após o seu tratamento. 



O que é o cancro?


O cancro é a proliferação anormal de células. O corpo humano é formado por órgãos, que por sua vez são formados por tecidos compostos por um conjunto de células. Naturalmente, as células crescem e dividem-se para formar novas células e, no seu ciclo de vida, envelhecem, morrem e são substituídas.
 
Apesar de este ser um processo ordeiro e controlado, por vezes formam-se novas células, sem função útil, que crescem de uma forma descontrolada dentro do tecido saudável. O conjunto de novas células provoca a criação de um tumor que pode ser benigno ou maligno. 
 
Os tumores benignos não são cancro:
• Raramente põem a vida em risco;
• Na maioria dos caos podem ser removidos e, muitas vezes, regridem;
• As células destes tumores não se espalham para outras partes do organismo, contudo, podem crescer bastante ao ponto de perturbar o normal funcionamento dos tecidos ou órgãos adjacentes.

Os tumores malignos são cancro:
• São mais graves que os tumores benignos;
• Estão associados a uma elevada taxa de mortalidade 
• Apesar de poderem ser removidos, podem voltar a crescer;
• As células destes tumores podem alastrar-se para outros tecidos e órgãos. Podem, ainda, entrar na corrente sanguínea ou no sistema linfático e formar novos tumores noutros órgãos.
 
Os tumores surgem por alteração do material genético das células, produzida por agentes carcinogénicos que perturbam os sistemas reguladores que controlam a divisão e a longevidade das células afetadas.
 
Existem 3 principais tipos de agentes carcinogénicos: 
• Radiações ionizantes (ex: raios ultravioleta) 
• Certos químicos (ex: tabaco)
• Certos vírus (ex: HPV)
 
O aumento do risco de cancro também está relacionado com fatores genéticos individuais, pelo que indivíduos com história familiar de cancro têm maior predisposição para estas doenças.
 


Diagnóstico

Para o diagnóstico do cancro contribuem:
- o exame físico (deteção de lesões na pele, nódulos,…);
- exames de imagiologia (raios X, ressonância,...);
- testes laboratoriais(deteção de marcadores tumorais no sangue);
- análise histológica de citologias e biópsias de lesões suspeitas.
 

 
Prevenção

Além da adoção de estilos de vida saudáveis, a prevenção do cancro passa pela sua deteção precoce, através da realização de testes de rastreio como:
- Pesquisa de sangue oculto nas fezes para o cancro coloretal; 
- Análise do PSA para o cancro da próstata;
- Teste de papanicolau para o cancro do colo do útero;
- Mamografia e auto-exame da mama para o cancro da mama.
 


Tratamento

O objetivo do tratamento é remover e/ou destruir o tumor bem como das células cancerígenas que possam ter-se deslocado para outros locais, fora do tumor primário. 
 
Principal regime de tratamento: 
1. Remoção cirúrgica (excisão) do tumor; 
2. Radiação altamente energética (raios X, radiação gama ou feixe de eletrões);
3. Quimioterapia (uso de drogas citotóxicas de forma a maximizar a destruição das células do tumor e minimizar a destruição dos tecidos saudáveis).

Todas estas formas de tratamento têm um certo risco/benefício. A decisão acerca do tipo de tratamento e da agressividade do mesmo é determinada considerando o balanço entre a morbilidade associada e os potenciais benefícios.
 
design binário