Gasometria



Maio - Mês do Coração

06 de Maio de 2015

Em Maio assinala-se o mês do coração e a Cintramédica ajuda-o a cuidar do seu.
Aproveite já os rastreios que temos para si.


Semana 11 a 15 - Rastreio Cardiovascular
Glicémia;
Colesterol;
Pressão Arterial.

Semana 18 a 22 - Rastreio Obesidade
IMC.

Semana 25 a 29 - Rastreio Anti-Tabágico
Nível de monoxido de carbono no ar espelido.


Faça a sua marcação através do número 21 910 00 80.
 



A importância do controlo cardiovascular

Em Portugal, as doenças cardiovasculares lideram as taxas de morbilidade e mortalidade, o que torna importante a implementação de medidas que visem a sua prevenção e tratamento. 

Os efeitos e consequências provocadas pelas doenças cardiovasculares, nomeadamente o acidente vascular cerebral (AVC) e a doença coronária (DC), no cidadão, na sociedade e no sistema de saúde, determinam que sejam encaradas como um dos mais importantes problemas de saúde pública. Para além do controlo da pressão arterial, é necessário controlarmos outros factores determinantes, nomeadamente o tabagismo, a dislipidémia, a diabetes, o abuso de álcool, o sedentarismo, a obesidade e o stress excessivo. A prevenção, detecção e correcção de todos estes factores, implica não só a melhoria de saúde e qualidade de vida, como promove uma recuperação mais eficaz. 
 
Em boa verdade, todos podemos procurar evitar este tipo de doenças, começando por saber os nossos níveis de pressão arterial, colesterol e glicemia, de modo a tomar de uma forma mais consciente as medidas necessárias para controlar estes factores de risco. 
 
Pratique desporto com frequência e mantenha uma alimentação saudável, o seu coração agradece! 
 


17 de Maio
Dia Mundial da Hipertensão: aprenda a controlar o seu coração

A pressão arterial é a força com que o sangue circula pelo interior das artérias do corpo, e é composta por duas medidas, a sistólica ou “máxima”, e a diastólica ou “mínima”. A primeira corresponde ao momento em que o coração contrai, enviando o sangue para todo o corpo. A segunda ocorre quando o coração relaxa para se voltar a encher de sangue. Existem, no entanto, uma série de factores – genéticos ou ambientais – que podem fazer com que esta pressão sobre as paredes das artérias aumente em excesso, provocando hipertensão arterial. 
 
A inexistência de sintomas associados à hipertensão faz com que grande parte das pessoas hipertensas desconheçam estar doentes, o que impossibilita o seu tratamento e prevenção, aumentando o risco de acidentes vasculares cerebrais (AVC) e de enfartes do miocárdio. 
 
A prevenção, o diagnóstico e o tratamento desta doença é extremamente importante e pode ser conseguido através de diversas alterações no seu estilo de vida: reduzir o consumo de sal, aumentar a actividade física e moderar o consumo de bebidas alcoólicas, entre outras.
 
Definições e classificações dos níveis de pressão arterial medidos no consultório (mmHg)

Categoria
Sistólica
 
Distólica
Ótima
<120
e
<80
Normal
120-129
e/ou
80-84
Normal Alta
130-139
e/ou
85-89
Hipertensão Grau 1
140-159
e/ou
90-99
Hipertensão Grau 2
160-179
e/ou
100-109
Hipertensão Grau 3
≥180
e/ou
≥110
Hipertensão sistólica isolada
≥140
e
<90


Para manter o seu coração saudável deverá ter em atenção alguns factores de risco:

Excesso de Peso (Obesidade);
Consumo exagerado de Sal;
Consumo exagerado de álcool;
Sedentarismo;
Má Alimentação;
Tabagismo;
Stress.

Medidas de prevenção a adoptar para manter o seu coração com saúde:

Redução da ingestão de sal na alimentação;
Preferência por uma dieta rica em frutos, vegetais e com baixo teor de gorduras saturadas;
Prática regular de exercício físico;
Consumo moderado de álcool;
Deixar de fumar;
Ter cuidado com o peso/obesidade.
 



23 de Maio
Dia Mundial de Luta Contra a Obesidade: descubra qual o seu peso ideal

A obesidade atinge muitos portugueses de todas as idades e é um factor de risco para as doenças do coração. Trata-se do excesso de gordura no corpo que em níveis muito elevados acabam por afectar gravemente a saúde. O diagnóstico de pré-obesidade e de obesidade é calculado através do IMC – Índice de Massa Corporal. 
 
IMC = Peso / Altura² 

Este indicador permite determinar se um indivíduo adulto tem baixo peso, peso normal ou excesso de peso.
Uma dieta hiperenergética, com excesso de lípidos, de álcool e de hidratos de carbono, assim como sedentarismo resultam na acumulação de excesso de massa gorda. A obesidade é uma doença crónica que deve ser tratada e a solução é a perda de peso. Para além de contribuir positivamente para a saúde no global, melhora a qualidade de vida e reduz o risco de mortalidade. 
 
Classificação
IMC (Kg/m2)
Magreza
<18
Normal
18-25
Pré-Obesidade
25-30
Obesidade grau I
30-35
Obesidade grau II
35-40
Obesidade grau III (Obesidade Grave ou Mórbida)
>40
 

10 dicas Cintramédica para manter uma vida saudável:

1) Força de vontade - Em caso de doença é importante mentalizar-se que necessita de ajuda e quanto mais cedo mudar os seus hábitos de vida melhor. É preciso ter força de vontade, modificar os hábitos alimentares e fazer exercício. Recorra a um médico nutricionista que o ajudará neste passo.
 
2) Dormir bem - Descansar 7 horas é suficiente para recuperar as energias. Este processo de descanso é crucial tanto para o corpo como para a mente. 

3) Tomar sempre o pequeno-almoço - É a refeição mais importante do dia. Comer bem nas duas primeiras refeições do dia faz com que sinta menos apetite o resto do dia. 

4) Jantar muito leve - À noite o metabolismo fica mais lento. Desta forma é importante optar por uma refeição mais leve. Se a fome aparecer antes de se deitar coma uma gelatina ou um iogurte.

5) Beber muita água durante o dia - A quantidade recomendada é entre 1 e 2 litros de água. Beber um copo de água meia hora antes das refeições ajuda a reduzir a vontade de comer.
 
6) Praticar actividade física – Deve fazer actividade física pelo menos 3 vezes por semana. Não importa qual a actividade, o importante é não estar parado. Se não quiser correr, por exemplo, pode sempre caminhar.

7) Comer frutas e legumes variados - Para além de fornecerem muitas fibras e vitaminas, ajudam a perder peso. Salada ou sopa são sempre uma boa opção antes de comer o prato principal. 

8) Reduza o consumo de Sal - O consumo excessivo de sal está associado ao aumento da pressão arterial e consequentemente a problemas de coração. Opte, por exemplo, por ervas aromáticas para temperar os alimentos.  

9) Comer um pouco de tudo - Fazer dieta não significa deixar de comer tudo aquilo que gosta e muito menos deixar de comer por completo. Tudo passa por fazer boas escolhas de alimentos. Preferir o peixe à carne vermelha, e alternar o consumo entre peixe e carnes brancas é uma boa opção. Evitar os fritos e optar por alimentos cozidos ou grelhados é uma excelente mudança que fará diferença.

10) Comer de 3 em 3 horas - Pode parecer muito mas isso fará com que não fique com fome. Desta forma as porções de comida vão diminuindo e consequentemente o peso também. 
 


31 de Maio
Dia Mundial Sem Tabaco: prolongue a sua vida, deixe de fumar

Em Portugal, estima-se que o consumo de tabaco atinge cerca de 20 a 26% da população. Para além de ser um factor de risco para o fumador, o tabagismo afecta todos aqueles que se encontram frequentemente expostos ao fumo passivo, causando um grande prejuízo à saúde pública, uma vez que é responsável pela diminuição da qualidade e duração de vida.

O fumador tem, em média, menos dez anos de vida do que o não fumador, pois as substâncias do fumo do tabaco afectam alguns órgãos importantes, ao mesmo tempo que tornam o organismo mais frágil rem relação a uma série de doenças. Segundo a fundação portuguesa de cardiologia, o tabaco é responsável por:

•       25 a 30% da totalidade dos cancros – incluindo cancro do aparelho respiratório superior (lábio, língua, boca, faringe e laringe);
80% dos casos de doença pulmonar crónica obstrutiva;
75 a 80% dos casos de bronquite crónica;
90% dos casos de cancro do pulmão;
20% da mortalidade por doença coronária.

Deixar de fumar é a medida preventiva mais eficaz para diminuir os riscos de enfarte do miocárdio, angina de peito, doença arterial periférica e acidente vascular cerebral.
 

10 passos para deixar de fumar:

1. Marque um dia concreto para deixar de fumar (no prazo máximo de 15 dias).

2. Até chegar o dia fixado, faça alguma preparação: enumere as razões que o levam a deixar de fumar e treine pequenos períodos de abstinência.

3. Aprenda a conhecer-se enquanto fumador: identifique os momentos e o número de cigarros que fuma e procure avaliar quais são os cigarros que fuma apenas por “tédio”.

4. Comunique a decisão às pessoas mais próximas para se sentir mais apoiado.

5. Durante alguns dias (ou mesmo semanas), pode sentir-se ansioso, inquieto e irritado. Pode também sentir dificuldades em dormir e concentrar-se. Lembre-se que são sintomas passageiros e que já muitas pessoas os ultrapassaram. Você também vai conseguir.

6. Tenha sempre presentes as razões que o levaram a deixar de fumar.

7. Faça uma alimentação saudável, para evitar o aumento de peso.

8. Evite locais com fumadores e afaste objectos que lhe lembrem o tabaco – ex. cinzeiros e isqueiros.

9. Pratique actividade física, pois ajuda a controlar a ansiedade e permite-lhe estar em boa forma.

10. Não desista: se tiver uma recaída, fixe uma nova data e recomece a tentar.

 

As vantagens de deixar de fumar:

Após 20 minutos

A pressão arterial e o ritmo da pulsação voltam ao normal.

Após 8 horas

Os níveis de nicotina e monóxido de carbono no sangue diminuem em 50% e o oxigénio sobe para valores normais.

Após 48 horas

A tensão arterial é estabilizada e o paladar melhora.

Após 72 horas

Os brônquios descontraem-se, a respiração solta-se e a pele torna-se mais luminosa.

Após 2-12 semanas

A circulação melhora significativamente e caminhar torna-se menos cansativo.

Após 6-9 meses

Sente um aumento gradual do bem-estar geral, acompanhado de mais vitalidade.

Após 5 anos

O risco de cancro da boca e do esófago reduz-se para metade.

Após 10 anos

Corre 50 % menos risco de ter um cancro do pulmão do que um fumador.

Após 15 anos

O risco de doença cardiovascular é semelhante ao de uma pessoa não fumadora, do seu sexo e idade.

 

design binário